Para uma menina, com amor

Querida criança que habita o meu coração, que está doente e que sofre. Do lugar em que me encontro agora já posso enxergar a tua dor, tão disfarçada que estava pelo que tinhas de alegre e forte. E posso percebê-la agora, porque já vejo, entendo e acolho a minha dor. Por isso, minha menina, é que estou aqui para ensinar-te a compreender o que te afliges como um bem precioso, um bem que sinaliza para a luz que a própria dor encoberta.

Tantos temas difíceis tivestes que lidar tão cedo, não é mesmo? Mas saibas, minha querida, te saístes muito bem. Quero dizer que honro a tua caminhada, todo o esforço que fizestes para decifrar a ti e ao mundo, mesmo tocada pela melodia persistente e dissonante das vozes que em torno de ti gravitavam.

Vem cá, minha criança, quero dar-te um abraço! Um abraço que una o teu coração ao meu de uma forma tão pura e intensa que nunca mais sentirás esta dor silenciosa que te acompanha, a prender os teus e os meus próprios passos. Para curá-la, hoje sei, teria bastado um olhar atento e amoroso sobre ti, este que te ofereço agora, impregnado pela luz do amor mais fundo que posso sentir, para que não mais te ressintas pela ausência de farol ou guia a conduzir-te. Mas, compreenda, criança, tinhas mesmo que ser o teu próprio guia.

Ah, não sofras mais! Lava a tua dor com as lágrimas que te ofereço agora, elas vêm do rio da gratidão que me atravessa largo, para que eu possa chorar por ti o teu próprio pranto represado, para que sejas livre, livre, minha menina.

Vem, comece logo a sonhar os sonhos mais improváveis, a fazer as travessuras mais loucas, a errar — sem temores! — novos erros, a cantar alto, bem alto, como tanto gostavas, em um dueto com o Deus que somente tu percebias. Vem, vem resgatar comigo a tua/minha alegria, a minha/tua leveza, a tua/minha coragem, expande o meu coração e o teu até a estrela mais remota, e cada instante da vida será o nosso canto de amor.

Agora podes dormir… No interior de mim sempre estará tua casa, teu leito, teu jardim, e hoje que nada mais resta a oprimir-te o peito, peço licença para tomar das tuas mãos a minha/tua existência.

Dorme em paz, minha criança, o de mais puro que tinhas está ancorado em mim.

Texto de Cristina Sobral

Lista de comentários

  • Patricia 20 / 04 / 2021 Resosta

    Texto lindo!

  • Patricia 20 / 04 / 2021 Resosta

    Linda carta! Os ensino de Jung sempre presentes na minha vida, a sincronicidade a cada momento importante, aparece. Estou longe de casa, sem poder voltar por conta da pandemia. Liguei para minha irmã, no Uruguai, e falamos da nossa sofrida infância. O processo de escrita do meu tcc, em Arteterapia Junguiana, trata-se da criança interior, reflexões diárias, nos sonhos, no dia a dia. E hoje, também chegou sua carta, parecendo confirmação, de estou no caminho certo. Gratidão profunda. Abraços!
    Patricia

  • Patricia 20 / 04 / 2021 Resosta

    Linda carta! Os ensinos de Jung sempre presentes na minha vida, a sincronicidade a cada momento importante, aparece. Estou longe de casa, sem poder voltar por conta da pandemia. Liguei para minha irmã, no Uruguai, e falamos da nossa sofrida infância. O processo de escrita do meu tcc, em Arteterapia Junguiana, trata-se da criança interior, reflexões diárias, nos sonhos, no dia a dia. E hoje, também chegou sua carta, parecendo uma confirmação, de que estou no caminho certo. Gratidão profunda. Abraços!
    Patricia

  • Rosemary 21 / 04 / 2021 Resosta

    Cristina,

    Eu agradeço tão lindas, singelas, puras e verdadeiras palavras de cura pelo olhar amoroso e libertador que nos é oferecido por você

  • Edite 23 / 04 / 2021 Resosta

    Um texto profundo e suave. Texto de conciliação interna, de acolhimento da criança interna. Parabéns para a autora!

  • Edite Hupsel 23 / 04 / 2021 Resosta

    Muito lindo e profundo. Texto que fala de uma conciliação interna com a criança interna. Suave e animador!

  • Lindo encontro com a sua menina, Cris. Tao singelo, forte e verdadeiro,. Quero aqui agradecer, esta crónica tao profunda de amor e sinceridade. Parabéns voce e 10. Repito lindo demais, para mim não foi só uma lieratura, cronica, prosa, foi também um serviço, pois fez a mim, buscar meu perdão a minha criança submersa.Obrigado.

  • Marta Paim 23 / 04 / 2021 Resosta

    Linda crônica Cris. Você sempre brilhando. Obrigada por suas palavras de luz e ternura para a percepção de nós mesmos.

  • Maravilha . Gratidão por compartilhar. Uma jornada do herói, que você buscou e achou em si mesma, oculta , a força que vence obstáculos e tentações. Então conseguiu manifestar poder e energia desconhecidos.
    Que trajetória abençoada!!!!!!……

  • Fabio Shiva 25 / 04 / 2021 Resosta

    Belíssimo texto! Acolher a criança interior e exterior é caminho de cura para o planeta!

  • Rosana Moreira Silva Paulo 25 / 04 / 2021 Resosta

    Muito linda essa carta de amor e compreensão a sua criança interior. Me emocionei com a leitura

  • Ana Leonor 09 / 05 / 2021 Resosta

    Paradoxo da vida esse de somente enxergarmos e sabermos acolher nossa criança com os óculos da maturidade. Mas que bom que despertamos para esse olhar e podermos fazer as devidas pazes. Parabéns pela crônica que traduz essa reflex!👏👏👏

Deixe uma resposta