A Igreja do Diabo

O conto “A Igreja do Diabo, de Machado de Assis, talvez seja o seu melhor trabalho como contista, publicado no livro “Histórias Sem Data”. Nesse conto o leitor entra em contato com as dimensões contraditórias da natureza humana, diante de uma mesma realidade. Nele percebemos um Diabo com o espírito semelhante ao nosso. Tal Diabousa 

Continue lendo

Sobre Covid, Clarice e Pássaros

O dia nasce pesado, cinzento, contrastando com o azul brilhante do céu de Salvador. Atualizo o número de mortes por Covid-19 no Brasil — mais de 295 mil. A dor tem peso real e se antecipa aos números, constato, ela é um sopro invasivo e não precisa de atualizações. Olho o relógio e vejo que 

Continue lendo

Para uma menina, com amor

Querida criança que habita o meu coração, que está doente e que sofre. Do lugar em que me encontro agora já posso enxergar a tua dor, tão disfarçada que estava pelo que tinhas de alegre e forte. E posso percebê-la agora, porque já vejo, entendo e acolho a minha dor. Por isso, minha menina, é 

Continue lendo

Maternidade: escolha ou obrigação?

Na sociedade em que vivemos hoje, ser ou não ser mãe ainda é um tabu quase proibido de se questionar. É claro que algumas mulheres e homens podem contestar, mas a realidade é que a maior parte da sociedade, ao menos a brasileira e não só, enaltece a maternidade como destino natural da vida de 

Continue lendo

PARTE DE MIM – Um diálogo com a sombra

Vem cá. Quero falar contigo, que sempre me fala de doenças e de morte e me faz pensar em coisas tão duras, imaginar catástrofes, desconfiar de pessoas, incentivar minha insegurança, desacreditar de mim, criar situações que não existem, infligir pensamentos horripilantes, e me causar tanto pavor. Recordo-me de ti desde muito cedo; criança fugindo da 

Continue lendo

Psicologia e epidemias

A revista “Filosofia”, em sua edição de Julho de 2020, levantou a seguinte questão: “teria o método científico chegado ao seu fim?” O artigo da capa discute os desafios da ciência em situações como a pandemia de coronavírus, quando a dificuldade inerente ao próprio método científico em oferecer resposta imediata a questões emergentes torna o 

Continue lendo

A Cabana

Resolvi ler o livro escrito pelo canadense William P. Young e colocá-lo no divã para uma análise. Esse livro nasceu em 2007 e, devido ao seu sucesso entre os leitores iniciais, ganhou o mundo e foi lançado no Brasil em 2008. Trata-se de um texto situado na fronteira entre a ficção distrativa e a ficção 

Continue lendo

Terra em mutação- o mundo precisa de terapia

O ano de 2020 foi marcado por uma grande transformação mundial: o planeta foi acometido por uma pandemia causada pelo coronavírus, chamado de Sars-Cov-2. O vírus, que veio da China, espalhou-se pelo mundo e já atingiu 86.749.940 pessoas, causando 1.890.342 mortes (dados da OMS).   O dano causado até o momento é, sem dúvida, vasto; 

Continue lendo

O trabalho do analista junguiano

O cliente chega ao consultório e se apresenta como um doente. Reduz todo o seu penar a um conceito: “Sofro de pânico”. O terapeuta, depois de uma interação empática, deixa-o à vontade para descrever como acontece nele esse sofrimento. O profissional fica atento às metáforas, que são carregadas pela narrativa do seu cliente, e observa 

Continue lendo