Um Trem Noturno para Lisboa

Peguei o Trem noturno para Lisboa e fiz uma viagem para as regiões mais intensas do meu ser. O maquinista era um escritor suíço chamado Peter Bieri, um professor de filosofia em Berlim, que se lançou no mundo literário com o pseudônimo de Pascal Mercier. O mergulho nesse livro me deu a sensação de ler dois livros 

Continue lendo

Quem Mexeu no meu Queijo

Experimentar mudanças é um desafio que requer posturas assertivas para uma atitude acertada. Recorremos aos nossos conhecimentos e, muitas vezes, precisamos de outra pessoa para uma orientação ou troca de experiências.  Analiso aqui, a pedidos, a obra de Spencer Johnson, Quem mexeu no meu queijo. A quantidade de livros de autoajuda cresceu demais no mundo.        Talvez 

Continue lendo

Cem Coisas

Com os olhos lançados para o infinito e um livro nas mãos, eu visualizava uma linha imaginária limitando o mar da Bahia em seu avanço para o céu. Esse mar, em sua imensidão, unia-se a todos os outros mares para se diferençar da terra e ser apenas o mar a nos dar a impressão do 

Continue lendo

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Médica, analista junguiana, doutora em Engenharia e Gestão do Conhecimento (UFSC), coordenadora do curso de especialização em Processo Criativo e Facilitação de Grupos (abordagem junguiana) do IJBA. “Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar, para atravessar o rio da vida. Ninguém, exceto tu, só tu. Existem, por certo, atalhos sem números, 

Continue lendo

A Arte da Procrastinação

Negligenciar um compromisso, por se dedicar a algo sem aparente importância, poderá nos trazer um sentimento de irresponsabilidade e nos fazer sofrer com isso. Há um livro de autoajuda que orienta a combater a idéia: “não deixe para amanhã o que pode fazer hoje”e, no lugar dela, aconselha: “nunca faça hoje uma tarefa que pode 

Continue lendo

O Ser no Gerúndio

A ideia de algo acontecendo consigo mesmo, enquanto o inconsciente poeticamente se expressa dentro de uma relação terapêutica, é o desafio que o livro de Eduardo Rozenthal, O Ser no Gerúndio, procura explicar o trabalho que os analistas enfrentam. Considera os símbolos percebidos e os acontecimentos que não se apresentam como símbolos, resultantes dos fragmentos contidos 

Continue lendo

Metanóia na Psicologia Junguiana

Metanóia é uma palavra grega formada pelo prefixo: meta, com sentido de: o que está além, o que transcende, e pelo sufixo: noia, um verbo com sentido de: pensar, razão, compreensão ou entendimento, muito próximo da palavra grega nous que pode ser traduzida como consciência. Portanto, metanóia pode significar: expansão da consciência, ir além da razão lógica, transcender, converter-se, 

Continue lendo